quinta-feira, 27 de novembro de 2008

Filminho da semana


Dentro da minha vida pra lá de agitada um tempinho para o lazer ou seria melhor dizer prazer...


Como eu gosto de tudo (ou quase tudo do Woody Allen) amei o filme! Recomendo!!!!!!

domingo, 16 de novembro de 2008

Carpe Diem

Rio Scenarium - Lapa

Piraí Fest - Piraí

Seguindo a minha nova filosofia de vida (vide post abaixo). Tenho aproveitado para curtir o que a vida tem de melhor e esquecer tudo o que já me causou dor. Para isso nada melhor do que os amigos e eu tenho curtido muito com eles (fotinhos para exemplificar). Teatros, noitadas na Lapa, aniversário de amigos, almoços para colocar a fofoca em dia e o que mais puder vir. Não vou negar que é dificil deixar certas coisas para trás, mas confesso que esta sendo muito mais fácil do que eu esperava ser. Então, Carpe Diem!!!!

domingo, 2 de novembro de 2008

That's it!

"I know I was born and I know that I'll die. The in between is mine. I am mine ..."

E a vida continua...

Incrível como a nossa vida pode mudar em tão pouco tempo, apenas com as decisões e atitudes que tomamos. Domingo eu estive novamente com o F. e foi aquela loucura de sempre, mas eis que no final, como num passe de mágica, tudo ficou claro para mim. Ele não vai largar a coisinha, não vai ficar comigo, esta brincando com tudo isso e não tem a mínima consideração pela minha pessoa. Então, chorei horrores, sofri loucamente mais uma vez. E, finalmente, me reencontrei ao me lembrar da frase "the world is not enough". Sim, essa sou eu. Então, porque eu estava me deixando viver daquela forma. Nãooooo!!! Chega! Mar a dor continuava a latejar minha mente e meu corpo. Eu precisa de colo, de consolo, de esperança. Terça lá fui eu visitar o túmulo do meu pai (eu não ia lá desde o enterro). Novamente, chorei horrores, saudades gritaram em mim, pedi, reclamei, chorei mais ainda e sai de lá diferente. Eu era novamente EU e isso me fez muito bem. Descobri que precisamos enterrar os mortos vivos que insistimos em manter em nossas vidas e deixá-los descançar em paz. Foi como se me pai tivesse me dito isso comigo no colo e terminasse dizendo Eu Te Amo e estou aqui como sempre. Esse mortos (de verdade) não precisam ser esquecidos ou deixados em paz pois são parte de nós e isso nos faz mais, muito mais. Aprendi que o que eu vive em termos de amor foi bom e que não tenho que sofrer e me arrepender, tenho apenas que dar a essa parte da minha vida o local certo e fechar a página do livro. Pronto! Assumi novamente as rédeas da minha vida. Não esta sendo fácil, é uma luta injusta e sem descanço, mas o universo conspira a favor quando você toma decisões e atitudes. Na quinta, tive a notícia de que minha bolsa de doutorado saiu, finalmente (após 8 meses de espera e dúvida). Agora vou poder diminuir a minha carga de trabalho e me dedicar a minha tese. E, também, fazer meus planos de viagem e outras cositas mas. Por hora é isso, mas sinto que vem mais por ai e eu estou pronta para viver e mais ainda para ser feliz... :D

sábado, 25 de outubro de 2008

Resumindo...minha vida amorosa - um desabafo

Não sei mais nada, simplismente não sei. Só peço a Deus e a quem mais for pertinente que isso se resolva rápido porquê preciso muito voltar a acreditar em final feliz e que eu não sou uma alma perdida.

Os 7 pontos:

O amor da minha vida (F.) - Sete anos de relacionamento. Três meses como amante passando por cima de princípios e orgulho para ele optar por ela sem dar qualquer justificativa. Reaproximação por conta da doença e morte do meu pai. Novo (ou seria antigo) problema, ouvindo coisas do tipo que te matam por dentro, mas ele continua sem saber o que realmente quer e eu continuo amando-o e sofrendo como nunca.

O meu princípe encantado (S.) - o meu sonho de consumo, mas que tem uma namorada mala que ele parece estar por conveniência e que, para completar, é minha xará.

O cara que tudo combina (Z.) - um dos meus ex-namorados. Após muitos contratempos nos descobrimos "perfeitos um para o outro". Aquele cara com quem tudo flui maravilhosamente, mas que hoje em dia mora a quilometros de distância.

Aqueles que todos acreditam ser o meu par perfeito (G.) - um grande amigo de longa data (e ex-caso) com várias coisas em comum e que muitos acham ser a minha cara metade.

Vários casinhos sem maior importância nesse meio tempo.

Vários carinhas que aparentemente queriam me dar o mundo, mas que eu não consegui me permitir envolver por não ter o tal encantamento.

E, após tudo isso, euzinha mais sozinha do que nunca...

sexta-feira, 17 de outubro de 2008

Meio abandonado, mas não esquecido!


Sim este humilde espaço de expressão de essência esta meio abandonado pela mais absoluta falta de tempo. Os acontecimentos estão ai, mas esta impossível relatalos aqui. Todavia, esse espaço não esta esquecido e aos poucos vou tentar colocar tudo o que é pertinente a esse em dia.


Bom, não passei na prova da auto-escola. Arghhhh Para variar na minha vida, acertei o mais difícil e errei as banalidades. O que me resta agora é fazer a bendita denovo e ter o máximo da concentração e calma para não me ferrar denovo.


Minha vida amorosa esta longe do marasmo e também longe de ser uma maravilha. Só me pergunto: POR QUE NÃO EU A SER FELIZ??? POR QUE TUDO COMIGO É MAIS COMPLICADO??? Até minha mãe já concorda comigo sobre isso, mas isso é assunto para uma longa discussão aqui e não posso me alongar agora.


Culturalmente falando terminei de ler os dois volumes do livro acima que são da serie Outlander que é maravilhosa. Já lançaram a sequencia em português que já tô comprando, contudo não sei quando poderei me dignar a ter esse prazer. Apesar da chuva vou curtir um pouquinho a festa da cidade onde trabalho aos sábados - Piraí. Afinal, preciso urgentemente sair fora dos esquema casa-trabalho-casa.

terça-feira, 16 de setembro de 2008

Novidades


Doutorado e trabalho enlouquecem qualquer um e eu não escapo a regra, mas a vida tem lá suas surpresas e manipulações, por assim dizer. Bom, eis que eu estou saindo com um carinha (acreditem se quiser!) muito legal e simples, segundo palavras do próprio. E eu acho mesmo que seja. Ele é médico do médico sem fronteiras. Eu acho fantástico, mas já dá para ter os dois pés atrás pensando em termos de continuidade. Enfim, vamos ver no que isso vai dar. Para completar meu ex (que já foi citado em posts anteriores) resolver se aproximar, de certa forma. Não sei o que ele pretende com isso, mas tô dando corda para ver até onde isso vai. Afinal, essa historinha precisa de um final e eu já que eu não me abalo mais não custa por os pingos nos is.
P.S.: Os filminhos acima eu recomendo e se estiver acompanho é melhor ainda. hehehehe

quarta-feira, 3 de setembro de 2008

Virando gente grande...


Primeiramente, gostaria de me desculpar com o pessoal que visita este bloguinho aqui e o pessoal que eu visito. Não desisti de vocês, portanto não desistam de mim... Pleaseeeee!!! Minha vida tá uma loucura só por conta do trabalho, doutorado e milhares de outras coisinhas que fazem parte da nossa rotina e não tem me deixado espaço para o Essência. Prometo que assim que as coisas diminuirem o ritmo eu volto. Por falar em diminiur o ritmo, após protelar por muuuuito tempo resolvi tirar a licença para matar, ou melhor, a carteira de motorista. rsrsrs Já fiz aula teórica, passei na prova teórica, fiz os treinos e agora tô esperando a prova prática que deve ser no mês que vem. (Façam suas orações!!!) Claro que como uma pessoa que nunca tinha pego num carro na vida, não sabendo nem mesmo onde ficava a seta, eu vou fazer mais treinos. A questão toda é que eu descobri que a-d-o-r-o dirigir, ainda que não seja lá a motorista... Mas, eu chego lá! Até mesmo porque para alguém que acreditava não ter a mínima habilidade para pilotor um carro eu até que tô me saindo bem... Acho! hehe Acima eu coloquei a fotinho do mesmo tipo de carrinho que eu tô treinando - gol vermelho. Sexy, não?! Espero colocar a fotinho do meu em breve. Yupiiiii! Inté mais...

domingo, 24 de agosto de 2008

Texto que me define um pouco - um achado!!!

"Eu nunca fui uma moça bem-comportada... Pudera, nunca tive vocação pra alegria tímida,pra paixão sem orgasmos múltiplos ou pro amor mal resolvido sem soluços. Eu quero da vida o que ela tem de cru e de belo. Não estou aqui pra que gostem de mim... estou aqui pra aprender a gostar de cada detalhe que tenho. E pra seduzir somente o que me acrescenta. Eu sei sorrir com os olhos e gargalhar com o corpo todo. Sei chorar toda encolhida abraçando as pernas. Por isso, não me venha com meios-termos,com mais ou menos ou qualquer coisa. Venha a mim com corpo, alma, vísceras, tripas e falta de ar... Eu acredito é em suspiros... mãos massageando o peito ofegante de saudades intermináveis, em alegrias explosivas, em olhares faiscantes,em sorrisos com os olhos, em abraços que trazem pra vida da gente. Acredito em coisas sinceramente compartilhadas. Em gente que fala tocando no outro, de alguma forma,no toque mesmo, na voz, ou no conteúdo. Eu acredito em profundidades. E tenho medo de altura, mas não evito meus abismos. São eles que me dão a dimensão do que sou."

Maria de Queiroz

domingo, 17 de agosto de 2008

Filminho, livrinho e a vida seguindo...




Sei que meu bloguinho anda meio abandonado mas tem faltado tempo e novidades quentes para ele. Ainda tô tendo que reorganizar muita coisa na minha vida e outros pepinos que surgiram. Mas, aos poucos estou retomando a minha rotina (minha vida), inclusive social e cultural. Essa semana fui ao cabelereiro, ao médico e ao cinema! Fui ver Batman - o cavaleiro das trevas (fotinho acima). Ai que saudade eu sinto daquelas salinhas escuras... Acabei também de ler também o segundo livro da serie Outlander da Diana Gabaldon (fotinho acima). Muito bom! E o que isso tudo quer dizer? Bom, quer dizer simplismente que estou voltando a ser quem eu era, o que é essencial para mim. Me encontrando em meio a todo o caos que se formou com tantas perdas e decepções nos últimos tempos. E, não falo isso somente pelo fato de eu estar retomando minha rotina, falo porque me sinto tomando conta de mim, fazendo escolhas, brigando pela aquilo que acredito e tendo fé no futuro. Futuro este construido pelas minhas escolhas e nada mais...


quinta-feira, 7 de agosto de 2008

Nesse interim...




A vida ainda não entrou nos eixos, por assim dizer. Tenho estado muita cansada, triste e com uma grande dificuldade de me concentrar e trabalhar. Sei que isso é perfeitamente normal e etc... Mas, o mundo não vai esperar que eu esteja bem e saltitante para me cobrar aquilo que devo fazer. Então, para somar a minha agonia tem a culpa... Humpf! Fora isso minha mãe achou de contribuir para o meu estado de complicação com cobranças e brigas. Tem horas que eu só quero gritar ou ficar dormindo para não ser perturbada. E ainda tem a minha carência que só se avolumou com a ausência e a saudade do meu pai. Confesso que preciso de uma figura masculina. Alguém para cuidar, alguém para ser cuidado... Tem momentos que eu me perco em tudo isso. Acho que penso demais e isso atrapalha em muitas ocasiões... Enfim, essa é a minha realidade por enquanto. A única coisa que tem me salvado da total insanidade é a leitura. As minhas últimas foram as capas acima. Ficam como excelente dicas, mas lembro que estes livros fazem partes de series. Logo, tem que não somente gostar do gênero romance-ficção como ter disposição para ler volumes e volumes...

segunda-feira, 28 de julho de 2008

Até um dia...

Hoje faz uma semana que meu pai faleceu. Fui eu quem primeiro o viu morto ou nos últimos suspiros. Fui eu quem fechou seus olhos. Foram minhas as últimas palavras ditas ao seu ouvido: "Eu te amo". Eu sempre soube que seria eu a fazer isso. Não sei como ou porquê, mas essa era uma certeza para mim e não vejo com amargura. Era a minha missão. Descobri também que o meu poder de intercessão ainda não se perdeu. Talvez eu não seja tão má ou errada assim (divagações a mais para um outro momento) e Deus ainda tenha planos para essa pessoa aqui. É fato que perdi, de certa forma, o homem da minha vida. O único do amor eterno e incondicional. Todavia, o luto não é algo que eu considere. As tristeza e a saudade, sim. Minha alma e meu coração estão em paz, pois não há mágoa, ressentimento, arrependimento, algo que tenha ficado por dizer ou fazer. Não sei ainda como as coisas serão, exatamente, daqui por diante. No mais, digo "Até um dia, pai"

segunda-feira, 14 de julho de 2008

Anima Mundi 2008



Como uma pessoa a quem Deus não dotou de nenhum talento mais artisto ou desportivo, resigno-me a admirar a produção alheia. Por isso, há quatro anos bato-ponto no Anima Mundi aqui no Rio. Geralmente vou nas sessões exibidas no CCBB, que é um lugar que eu adoro por diversas razões. Ontem fui ecom minha amiga Flávia. Vimos três sessões de curtas com vários desses franceses que eu amo (hehe) e uma sessão especial de um animador chamodo Zaramella. O cara é muito bom!!! Virei fã. Para quem quiser dar uma olhadinha no trabalho dele o site é o seguinte http://www.zaramella.com.ar/. É incrível se dar conta de que programas simples fazem você ir do riso às lágrimas em apenas uma hora (as sessões tem em média essa duração) e sair de lá feliz da vida.
P.S.: A ilustração é só para ficar mais bonitinho, mas não é de nenhuma das sessões que eu vi.

sábado, 12 de julho de 2008

Familia, familia...

Depois de uma semana onde fica claro que o "inferno" é aqui e que os "demônios" somos nós. Afinal, como alguém pode, à revelia, alvejar um carro e matar uma criança de 3 anos!!! Deus, como tenho medo! Medo por mim, medo pelos meus, medo pelo futuro... Sinceramente, fico mais e mais indignada com o ser humano.

Felizmente, nem tudo são tragédias em nossas vidas. Como já dito aqui meu pais está bem doente e nesses momentos muita coisa muda na nossa vida. Você passa a dar mais valor a cada minuto da nossa breve vida que nos foi dada como um presente. Hoje, tive um presente - a visita do meu sobrinho-neto. Sim, sou tia-avó! Meu irmão que é 20 anos mais velho do que eu e minha sobrinha é só 6 anos mais nova do que eu, logo é perfeitamente razoável ser tia-avó aos 28 anos. hehe As fotinhos da ocasião seguem abaixo.


Tem coisa mais gostosa que um cheirinho no cangote desses?!


Fernanda - minha sobrinha, Samuel - meu sobrinho neto e eu - a tia mais coruja.


Eu e o meu fofuchinho, meu sobrinho-neto.

terça-feira, 8 de julho de 2008

Selinho!!!

Ganhei da Fran e tô feliz, rindo de orelha a orelha. :D A recíproca pro blog dela é mais que verdadeira. Tiro o chapéu!

sábado, 5 de julho de 2008

Tricolor de Coração



Meu time perdeu a final da Libertadores. Triste, muito triste! Aceitei, por fim, pois estamos tratando de um jogo. A única coisa que eu não aceito é a comemoração dos torcedores de outros times. Como assim torcer contra??? Uma coisa é você torcer pelo outro time porque simpatiza mais como ele do que com o outro. Isso é razoável. O resto não é competição de times, é falta de bom senso. Uma atitude muito infantil e perigosa na minha opnião. Vejam só toda a violência que se vê em função disso. Ai, simplismente não consigo engolir...
No mais, tenho a dizer que: "Sou tricolor de coração..." e nada vai mudar isso. ;D

Filminho da Semana

Filminho pipocão para distrair a mente, mas eu confesso que o objetivo principal era bem outro...

sábado, 28 de junho de 2008

Nada como chutar o pau da barraca e sair um pouco da neura que a nossa vida toma em alguns momentos, não? Então, em plena terça-feira eu trabalhei só na parte da manhã. Depois parti para o salão de beleza para dar uma melhorada no visual e no final do dia lá estava eu no cinema para ver Sex and the City. Muito bom! Recomendo! Me acabei de rir com o filme e, principalmente, com comentários das meninas. Eramos seis garotas de vinte poucos anos, solteiras e tudo o mais... Mas, o melhor é que ainda saí do cimena com esperanças de encontar o meu Mr.Big... hehehe Para finalizar estavamos no Outback comendo coisas muito caloricas e rindo horreres. Tem coisa melhor? Sim, tem. Mas, no caso das seis moçoilas em questão foi o melhor que podíamos escolher. Então, viva a vida!!!



quinta-feira, 26 de junho de 2008

Leitura? Sim, muita.








Venho aqui depois do meu limbo com as novidades que não são lá nenhuma revolução, mas pelo menos estou voltando a minha rotina. O que para mim é essencial. Como eu sentia falta de ser quem eu quero porque, no final das contas, sua rotina faz parte do que você é (no que trabalha, seus amigos, diversões, etc).
No meu periodo de reclusão (ainda que involuntária) posso dizer que me agarrei a compulsão de livros como não fazia desde a minha adolescência. E, lá foram os livros da Stephanie Meyer da série Twilight (que já falei em posts anteriores) e os da Meg Cabot da série A Mediadora e, mais o livro Fora de Órbita do Woody Allen. Os livros não tem nenhum cunho mais profundo. Não discutem questõe filosóficas, história, da vida, nem nada. Bom, mas tudo o que eu precisava era fantasia e foi o que eu obtive na medida certa com esses livros. No total foram 10 livros em 2 meses. Compulsão? Fuga? Não sei. Apenas digo que me ajudou e cá estou eu de volta. Recuperada? Ainda não sei, mas sem dúvida de pé. Bom, acima estão as fotinhos dos livrinhos. Se alguém quiser diversão em série tá ai uma boa dica.

domingo, 15 de junho de 2008

Recuperando as energias...

Após uma semana reclusa em casa, estou recuperada de certa forma e pronta para reassumir minha vida. Então, novidades neste bloguinho em breve.

Ah, não posso deixar de recomendar o blog da minha sensata amiga Bel http://littleisaba.blogspot.com/. Muitos posts legais por lá!

sexta-feira, 6 de junho de 2008

Preciso de mais tempo...

Fato: minha vida tá de pernas pro ar e eu não tô dando conta do recado. Precisava de um dia de pelo menos 48 horas, mas 36 eu já tava aceitando. Bom, as coisas aqui em casa se complicam a cada dia e eu tô começando a ser vencida pelo cansaço e pela tristeza de não saber do dia seguinte... É por esse motivo que esse registro aqui anda meio que abandonado e, sinceramente, não sei quando as coisas estarão novamente nos seus eixos.

***

Quanto ao livrinho abaixo, eu simplismente tô viciada na história. Não me via assim desde a adolescência com Arquivo X! Terminei o livro no domingo passado e confesso que já não podia esperar pela continuação então fui fuçar o que havia na internet, e há muita coisa. Bom, o livro já virou um filme que deve chegar as telonas em dezembro/janeiro. A história todo é composta por quatro livros (Crepúsculo, Lua Nova, Eclipse, Breaking Down e Midnight Sun). Lua Nova será lançado por aqui em agosto e Eclipse junto com o filme, acredito. Breaking Down será lançado nos EUA em agosto, então sabe lá Deus quando chegará aqui. O outro eu não sei muita coisa, apenas que é a versão do outro protagonista sobre o Crepúsculo. Parece muito bom! Falo isso porque tem o primeiro capítulo desse disponível na net. Aliás, confesso que não pude esperar até o livros serem lançados por aqui em português e como quero a coleção deles tive de partir para uma coisa que não acho muito legal (baixei os livros de um site que os disponibilizava), mas minha curiosidade foi muito superior a qualquer coisa. E, no fundo, não vai fazer diferença porque vou comprar o livro de qualquer forma quando ele for lançado por aqui. Só antecepei um pouco a leitura. hehehe Inclusive, esta semana já terminei de ler o Lua Nova. Imprimi algumas páginas e li outras no PC mesmo. Bom, é isso!

P.S.: Milena o livro pode até ser um pouco adolescente (os personagem são jovens) mas a narrativa é muito boa, assim como a história. Como é um romance ficção não dá para esperar realidade como num documentário, né?! E, que mal faz um pouco de fantasia???

quinta-feira, 29 de maio de 2008

Ler é um bom refúgio...



Sabe quando você entra numa livraria buscando nada e se depara com um livro que te chama, quase que literalmente. Bom, foi assim com o da fotinho ai encima. A questão é que o livro é maravilhosooooo. Não consigo parar de ler. Lá se foram os meus planos de ler os artigos da minha tese de doutorado essa semana...Mas confesso que tá sendo ótimo. O livro tá me tirando do mundo como eu bem preciso. O problema agora é que o livro tem continuação e quando eu acabar de ler esse vou ficar me roendo até o outro poder estar nas minhas mãos. E até o filme, que já tá sendo ou foi rodado entrar em circuito. Bom, fica ai a dica para quem passar por aqui. ;)

domingo, 25 de maio de 2008

Delírios consumistas e mais um filminho

Essa semana entre o trabalho (muito, diga-se de passagem) e os problemas entrei num delírio consumista (ai meu DEUS!!!). Tá certo que eu tava precisando de uma calça nova pois engordei uns quilinhos nos últimos tempos pois estive muito magra durante um tempo e, com isso, perdi algumas roupinhas. Mas confesso que perdi um pouquinho a linha na hora das compras... jaqueta, livro e blusinha. Ai ai, meu orçamento!!!

***

A situação aqui em casa permanece a mesma. Tô mais tranquila e racional do que poderia imaginar, o que esta sendo ótimo. Portanto, obrigado aos meus amigos pela força e boas vibrações de todos!

***

O filme da semana é O Sonho de Cassandra do Woody Allen que fui ver com minhas amigas Bel e Marianinha. O que posso dizer sobre o filme é que é um típico Woody Allen. Aprova quem gosta e como eu gosto, eu aprovo.

quinta-feira, 22 de maio de 2008

Amigos, minha fortaleza e o filminho da semana

Como já escrevi no post anterior as coisas estão bem difíceis na minha vida. Sinto como se tivesse de lutar com um leão todo o dia. Minhas energias estão se esvaindo... e as coisas acumulando. Não sei o que será de mim adiante e tenho medo. Talvez os médicos optem por internar meu pai na semana que vem e ai as coisas vão ficar ainda mais complicadas. Não consigo ver quando tudo vai ficar bem denovo e isso me deprime, quase me enlouquece. Só sou salva mesmo porque tenho amigos inacreditáveis que estão, cada um a sua maneira, me mantendo de pé, mantendo minha fé no dia de amanhã. Certa ocasião (numa daquelas conversas lições que temos com quem amamos), meu pai me disse que eu cuidadesse muito bem dos meus amigos pois amores e conquistas são passageiros, mas se tivermos amigos verdadeiros eu nunca estaria sozinha. E graças a Deus e a lição do meu pai, eu os tenho. Hoje, eles são em maior número do que eu podia sonhar. Amo demais todos os meus amigos, rezo e agradeço por cada um deles todos os dias. Aos poucos vou "registrá-los" aqui neste simples bloguinho para que mesmo quando os anos me levarem a lucidez eu possa ver o quão felizes fomos juntos e o quão importante foi minha vida com eles. E, se eles puderem ver e se reconhecer aqui saibam o quão especiais são.

***

Bom, o filminho da semana é Indina Jones e o Reino da Caveira de Cristal que fui ver com minha amiga Jackie e o marido dela André que se despencaram para Nikiti City para estar com essa pessoinha aqui. Quanto ao filme é cinemão pipoca total, mas eu confesso que me amarro nesses "clássicos". Enfim, recomendo!

sábado, 17 de maio de 2008

Filminho da semana e demais fatos

A semana que começou bem (dentro do possível) com um jantar japa com minhas amigas Bel, Rachel e Marianinha terminou com essa pessoa ao frangalhos. Além de todo o desgaste de trabalho, a saúde do meu pai que já estava ruim piorou severamente. Ele que vem definhando a olhos vistos desde o carnaval deste ano por conta do cancêr (que agora descobrimos ter entrado em mestástase para os ossos e sei lá mais o quê)levou um tombo e agora esta sem andar. Não quero entrar em maiores detalhes sobre o transcorrido, pois foram muitos fatos em pouco tempo e as coisas complicaram ainda mais aqui em casa. Tô me fazendo de forte para o mundo, mas tô me acabando por dentro. Afinal, tô perdendo o homem da minha vida - o único que tenho certeza do amor eterno e incondicional. Não sei explicar meu amor por ele. Sei que com todos os nossos erros e acertos tivemos a melhor relação que alguém pode desejar. Não sei, só sei que o amo e dói muito passar por tudo isso. Fora a solidão que me abate. Tudo que eu queria nesse momento era deitar e chorar no colo de alguém que me dissesse que tudo iria ficar bem, que eu poderia dormir em paz, pois quando eu acordasse ele ainda estaria ali do meu lado. Tenho tido todo o carinho e apoio da minha mãe (que tá segurando uma barra inimaginável de forma irrepreensível), vó, tia e dos meus amigos, mas me falta algo...

***

Quanto ao filminho da semana (Quebrando a Banca) que fui sozinha ver Sniff...Sniff... é bem legalzinho, ainda que não seja nada de espetacular. Filme diversão, sem compromisso e nada mais.

Mais um post da série MINHA VIDA É UMA TRILHA SONORA

James Blunt - Same Mistake

Ô música para não sair da minha mente! O pior é o refrão que é a minha mais pura verdade atual.

terça-feira, 13 de maio de 2008

"Torna-te quem tu és. Escolha teu destino. Ama teu destino"
F. Niestzche

domingo, 11 de maio de 2008

DIA DAS MÃES

Eu e minha mamy numa fotinho bem natural tirada no meu celular.

Não poderia deixar de escrever esse breve post falando da minha mamy e do seu amor incondicional. Tenho certeza que não poderia ter escolhido mãe mais perfeita para mim. Afinal, só ela mesmo para me aturar! Alguém tão diferente de mim (inclusive brigamos como cão e gato em muitas situações) que me respeita e ama de forma tão intensa que não consiguiria aqui descrever. Talvez no dia que eu for mãe eu descubra e, quem sabe, me torne a melhor mãe do mundo como ela é para mim desde sempre.

sábado, 3 de maio de 2008

Cinemão pipoca é muito bom também...


HOMEM DE FERRO

Filme muito maneiro e eu bem acompanhada. hehehe

domingo, 27 de abril de 2008

Muito, muito a falar...

Há momentos na nossa vida em que a única frase que cabe é "Ohhh que fase!!!". Bom, euzinha estou exatamente nessa: atolada de trabalho, com problemas cuja solução parecem existir somente num futuro distânte e com a cabeça num turbilhão de discussões que parecem sem fim. Daí os meus posts breves anteriores e minha ausência na visita aos outros blogs. Hoje, todavia, tenho muito a falar. Ontem e hoje, apesar do trabalho conversei muito com minha amiga Bel e també li muito sobre a maneira como lidamos com nossas vidas e relacionamentos e isso me inspirou a escrever aqui.
Uma das coisas que li e que achei interessantissimo foi a seguinte afirmação: "Felicidade é uma combinação de sorte com escolhas bem feitas'. Perfeito, não? Mas não termina por ai para tal tem-se de trabalhar, ter talento, o acaso colaborar e tamtém ter uma disposisção interna de enxergar as coisas boas, atraindo coisas positivas. Ou seja, não é tão simples quanto parece. Ainda mais sendo uma pessoa complexa como sou para lidar com as "questões da vida", principalmente no que toca a relacionamentos. Sou passional demais, movida a encantamento para tudo e tenta racionalizar tudo o que acontece e existe. Resumindo, insanidade! Em conversas com outra amiga minha Bella chegamos a uma conclusão óbvia e, por demais contraditória. Somos mulheres do século XXI com os mesmo sonhos de heroinas românticas do século XIX. Agora durma com um barulho desses??? Então, meu fds de reflexão e leituras me trouxe mais um texto de Alberto Goldin (psicanalista) cuja coluna é da Revista do Globo de domingo que segue abaixo apartir de uma carta de leitora. Me identifiquei tanto que quase sai correndo quando comecei a ler.
"Pareço estar no limite. Ora acredito na possibilidade de encontrar o homem certo, talvez a minha alma gêmea, ora perco as esperanças. Não minto, sou exigente, eu sei! Mas me pergunto: será que sou tão exigente assim? Tenho 28 anos, sou independente, as pessoas gostam da minha companhia. Todo mundo me pergunta como posso estar sozinha. Minha auto-estima esta em dia. Mas só me aparecem homens que nada tem haver comigo. E isso não sou só eu quem diz. A té pessoas que estão de fora têm a mesma opnião! Presto atenção na beleza? Sim, e na roupa que veste (nisso eu nem tanto), e se fala certo. Quero alguém que tenha uma situação como a minha - classe média - que ser vire para pagar as contas, mas que possa desfrutar coisas boas dentro das suas possibilidades. Quero um homem com quem possa dividir tudo, que seja meu companheiro. tudo está bem na minha vida (nisso eu também tô um pouco diferente por conta dos problemas de saúde do meu pai), só me falta uma amor! Ajude-me!"
Isso seria a carta, abaixo é a coluna do cara.
"Passou uma noite agradável, uma reunião de bons amigos, excelente astral. Preparou-se para dormir, porém o sono custava a chegar.
Como sempre, fez uma retrospectiva da sua noite e, com a maior honestidade, considerou-a impecável. Então, por que estava sozinha? Nada na sua aparência ou na sua vida profissional justificava isso. Ainda assim, a solidão estav aí, como um enorme ponto de interrogação que não consegui decifrar.
É claro que existiam homens interessantes, porém, por alguma razão, não cruzavam seu caminho. Como a noite era longa e o sono escasso, pegou uma folha de papel e escreveu os nomes de cinco das suas amigas que tinham resolvido essa questão, umas se casando, outras já casadas e com filhos. Como eram bastante íntimas, conhecia bem suas histórias e, invadida por um espírito científico, escreveu em poucas linhas como cada uma delas tinha realizado o difícil milagre do amor.
Quanto concluiu sua tarefa, percebeu que todas tinham um elemento em comum: no início da relação tinham sido surpreendidas, tiveram a sensação de viver algo novo e diferente, se entregaram a uma experiência de novidade e descoberta. As cinco, mesmo que cada uma do seu jeito, confessaram que, quando começaram seus namoros, se sentiram tocadas por uma emoção especial. Umas denominaram isso paixão, outras encantamento. Mas, sem exceção, todas relataram um "encontro" no sentido pleno da palavra. Precisavem um do outro, um tinha o que faltava no outro. Não se tratava apenas de encontrar o homem certo - inclusive nem todos eram nota dez. Improtava menos a qualidade do sujeito do que a empolgação do encontro.
Nesse momento se perguntou se o motivo da sua solidão era a falta de um companheiro adequado ou o fato de não estar, de verdade, disponível para descobrir e ser descoberta por um homem. Talvez não bastasse o desejo racional de encontrar um companheiro, precisava de algo mais, estar aberta para um encontro, suprotar a modestia de admirar e não ter medo de ser admirada, sacudir seu espírito auto-suficiente para permitir a entrada de outra pessoa na sua vida.
Novamente releu sua lista de amigas casadas e preparou outra, agora das solteiras. Todas declaravam sua vontade de formar uma familia, porém algumas (não necessriamente as mais bonintas) sempre namoravam e outras, ela inclusive, mais equipadas por sua capacidade intelectual ou condições materiais, sempre tiveram dificuldades amorosas.
Agora o problema tinha mudado de foco. O que faltava não eram homens, mas mulheres "amáveis", e talvez esse fosse seu verdadeiro problema. Não tinha certeza se sua teoria era correta, porém, pela primeira vez pensou na sua forma de olhar (e admirar) os homens. Acendia-se um luz verde que facilitava avançar ou uma luz vermelhar que freava? Se estivesse certa, a questão deixava de ser externa - falta de homens adequados - para ser interna - falta de receptividade para os homens.
Vencida pelo sono, refez sua lista de mulheres acompanhas, só que agora deixou um espaço para colocar seu nome.
Bom, acho que essa coluna resume muito do que tenho pensado. Acho que o lema agora tem de ser: Deixa a vida me levar, vida leva eu....

quarta-feira, 23 de abril de 2008

Fazendo algo que amo - VIAJAR




Minha vida anda uma loucura em termos de trabalho e problemas pessoais, logo minha vida social esta mais do que em segundo plano nos últimos tempos. Todavia, na semana passada resolvi abstrair e cuidar um pouco de mim. Fui ao show do Nando Reis (post abaixo) e viajei para Friburgo com amigos. Foi curto, mas muito agradável e relaxante. As fotinhos estão ai acima.

P.S.: Esse post vai ser curtinho porque não ando muito inspirada e por demais sem tempo. Espero que as coisas entrem nos eixos em breve.

sexta-feira, 18 de abril de 2008

Show do Nando Reis

A prova do crime. hehehe

Minha amiga Marianinha e Eu no Show do Nando Reis no VivoRio.
É incrível como música é capaz de lavar a alma e deixar você novinho em folha.




sábado, 12 de abril de 2008

CONSUMO CONSCIENTE


Para início de conversa não sou ecóloga, ambientalista ou qualquer coisa do tipo. Alías, o discurso de muitos desses me irritam pela falta de bom senso e hipocrisia, mas isso não vem ao caso. Bom sou sim, bióloga e como tal tenho uma visão nada romântica sobre a natureza e o mundo. Contudo, essa mesma visão me colaca ainda mais responsável sobre minhas atitutes e sobre meu papel social (ainda mais como professora também), logo resolvi postar aqui e fazer coro a campanha Boicote a Sacola Plástica. Além serem feias, as sacolas plásticas deixam nosso planeta "mastigando" a sacola por 50 anos, "tendo azia" por outros 50, e tentando "absorvê-la" por mais 50. Simples assim: recebemos sacolas para a maioria dos produtos que consumimos e pergunto por que não podemos guardar na mochila, bolso, bolsa ou carregar com os braços. Não digo para sermos radicais e abolirmos a utilização das tais sacolas, apenas para as utilizarmos apenas quando for necessário. E, porque não adotar a sacola de pano? Pergunte a sua avó sobre elas, são mais artísticas, fortes, duráveis, bonitas e ecológicas. Tudo tão simples, não?! Tão simples como usar com bom senso a água, a energia elétrica, separar lixo para reciclagem, comprar móveis de madeira com certificação ou aqueles "reciclados", não jogar lixo na rua, rios, mananciais, etc... Não acho que isso somente resolva as questões do planeta e da nossa sobrevivência. Apenas acho que se quisermos realmente mudar temos que começar a ter atitude. Não importa se pequena, importa que ela esta sendo feita. Portanto, façamos também o papel de multiplicadores dessas idéias. Afinal, uma andorinha só não faz verão!

segunda-feira, 7 de abril de 2008

Minha vida com trilha sonora igual a filme hollywoodiano

A letra dessa música é perfeita e o clipe muito lindinho. É incrível como a Ana Carolina tem uma música para momentos tão complexos da minha vida. Aos poucos vou "postar" minha trilha sonora que diria ser bem eclética. Segue a primeira...
http://

quinta-feira, 3 de abril de 2008

Para esclarecer, parar com o chororo e quem sabe por um ponto final nessa estória

Como diz um amigo meu "o grande problema de estórias mal resolvidas é que elas sempre voltam a bater a sua porta até que tudo tenha um ponto final". Tive um longo relacionamento que acabou por any motivos menos falta de amor. E o pior, não acabou de uma forma leve e sem mágoas. Tempos depois voltamos a nos ver e nos envolvemos novamente com um porém ele já estava com outra menina. Em determinado momento, dei a ele o poder da decisão (ficar comigo, com ela ou sem as duas) visto que eu só tinha uma opção que era a de não ficar mais com ele porque na prática eu já estava. E ele optou por ela obviamente (no fundo eu já sabia que seria dessa forma). Eu fiquei deprimida, perdi mais de oito quilos em quinze dias, etc... Mas, o tempo vai arrumando as coisas e de lá para cá muita coisa rolou. Quando tivemos a derradeira conversa perguntei a ele duas coisas: a primeira foi o que ele sentia por mim? a segunda foi o porque dele ter optado por ela? Eu tinha o direito de tentar entender aquilo tudo. Bom, a primeira pergunta ele disse que me amava (que esse amor era diferente do que ele sentia pela outra) e que não queria tirar isso de dentro dele e nem me esquecer mas que teria de ser daquela forma. A segunda pergunta ficou sem resposta. De lá para cá nos falamos furtivamente coisas banais e serias, mas era só isso até que domingo passado ele apareceu aqui em casa para me ver e ao meu pai. Ele tremia igual a uma vara verde e eu quase tendo um colapso. Enfim, ficamos conversando por mais ou menos uma hora. O problema é que no meio da conversa descobrimos que temos o mesmo modelo de celular e a criatura declara "isso é um sinal!" (Sinal do quê, pelo amor de Deus???) E, deixa a entender que esta tendo divergências de objetivos com a namorada (O que eu tenho com isso???). Será que ele quer ser meu amiguinho (as escondidas por ninguém sabe que nos falamos)? Será que ele não vê que isso não me faz bem? O que ele quer realmente? Só sei que não sei lidar com essa estória. Preciso de uma luz no fim do túnel! Bom, talvez o meu erro tenha sido mandar uma mensagem de felicitação pelo niver da mãe dele de quem gosto muito. E para completar o niver dele se aproxima e eu tenho que manter a pose. Ai como eu queira sumir de tudo isso...
Para finalizar, o outro motivo da minha tristeza é a doença do meu pai. Sempre achamos que estamos prontos para lidar com as coisas mas isso é bobagem. Não sabemos até viver e eu tô aqui aprendendo.

terça-feira, 1 de abril de 2008

BRINDE!


Apesar de toda a minha dor, carência, tristeza e frustação...Um BRINDE a casa, a vida, aos meus amigos, amores e família que fazem esta existência resistir...

segunda-feira, 31 de março de 2008

Muito bom! Eu recomendo.


Finalmente, consegui ver esse filme que eu queria ver desde a sua estréia. E o melhor é que gastei R$2 para isso no cinema da UFF. Fazia tempo que eu não ia lá. É um lugar que me traz tantas lembranças... Mas vamos ao que interessa. O filme trata da Berlim Oriental em 1984 onde o governo assegura seu poder através de um sistema cruel de controle da população.

domingo, 30 de março de 2008

Não sei, simplismente não sei

Tenho tanto para falar, mas as idéias não conseguem sair da minha mente. Já escrevi e reescrevi o início desse post diversas vezes no intuito de organizar minhas idéas, mas não dá! Certamente este post sofrerá revisões quando eu conseguir digerir tudo o que aconteceu nos últimos dias e hoje, principalmente. Foram muitos fatos, um misto de todos os sentimentos e sensações que talvez sejam impossíveis de serem descritas em palavras.

sexta-feira, 28 de março de 2008

ADORO FOTOGRAFIA

A fotografia é uma de minhas paixões. Essa, creio eu, herdada da minha mãe que sempre estava com a máquina em punho para registrar tudo mesmo que leiga no assunto. Eu também sou uma mera amadora nessa arte de registrar o mundo com a luz.
Hoje, todos tem uma câmera digital em mãos, mas poucos entendem a magia de fotografar. Tudo se tornou uma grande brincadeira. Falo isso não num tom de julgamento, apenas como uma crítica a banalização que vejo ocorrendo em muitas áreas, inclusive na fotografia.
No mais não posso deixar de enfatizar que gosto de fotos no papel mesmo que elas tenham sido tiradas em câmera digital. É como se em papel ela tivesse um poder maior de me levar aquele momento de comemoração, de risos, de alegria, de algo belo que vimos ou vivemos.

quarta-feira, 26 de março de 2008

Inspirada...

Apesar de achar o meu post anterior muito do sem graça, tô eu aqui denovo animada pelas visitinhas e comentários do meu blog. Claro que isso foi graças a popularidade do blog da minha amiga Bella mas já é uma motivação.
Como um dos principais objetivos deste blog é fazer um registro daquilo que para mim é importante resolvi escrever sobre a minha amada profissão a BIOLOGIA, ou seja, sou professora e pesquisadora. Quando criança queria ser arqueóloga simplismente porque era diferente, tinha viagens e um belo tom de aventura, mas ficou por ai mesmo porque quando se cresce se começa a pensar em questões práticas. Então, decidi que queria ser juíza e, portanto, faria direito. Acho que se tivesse mantido essa idéia teria até sucesso, mas não sei se seria feliz. Não vou me alongar nisso de felicidade porque não pretendo entrar em questões filosóficas nesse post e também porque não estou num momento bom para discutir tal assunto. O que importa é que no meio do caminho me encantei pela biologia. Creio que os motivos foram os mesmos que me eu expus para a arquelogia. Só que agora as razões eram reais e palpavéis e eu podia ser uma cientista. Foi exatamente o que me tornei. Claro que fazer ciência não é todo aquele glamour que visto em novelas, filmes, etc. Há, diferentemente, muito trabalho duro em condições (muitas vezes) nada ideais, quase sem dinheiro, perdendo finais de semana, feriados, festas, etc para escrever relatórios, artigos, teses. Mas, no final das contas, eu ADORO fazer ciência e é o que eu sei fazer. Definitivamente, não tenho talento para trabalhos comuns ou burocráticos. A única outra coisa que acho sei fazer é dar aula. Algo que eu descobri e me apaixonei pois é te dá um retorno, uma satisfação na alma que nenhum artigo publicado na Nature oferece. Falo que decobri porque alardeava aos quatro contos do mundo que nunca seria professora, que não tinham o menor jeito ou paciência. Até que um dia você esta diante de pessoas mostrando a elas um novo mundo... E, com isso, tem as mais diversas reações e trocas o que me faz me sentir muito bem. Tem uma frase de Einsten (não lembro se é bem assim) que diz que uma mente atingida por um conhecimento não volta mais ao seu tamanho original.
Ai ai queria falar mais coisas, mas crio que já tenha me alongado demais nesse post. Demais cositas sobre minha vida profissional ficam para os próximo capítulos...
Para finalizar...Como não sei fazer download dos vídeos do Youtube (Alguém pode me ajudar!), segue o link de um vídeo muito lindo que traduz um pouco do que é se deslumbrar e trabalhar com a Vida.

segunda-feira, 24 de março de 2008

Balanço Feriadão Semana Santa 2008


Apesar dos meus muitos planos para 2008 as coisas caminham meio travadas mas fazer o quê??? Dançamos conforme a música! Então, meu feriadão (que começou na quinta) se resumiu a ficar praticamente em casa e resolver coisinhas: ir ao médico, visitar minha amiga Bellinha para conhecer seu novo AP e botar as fofocas em dia, manicure e pedicure, alugar filminhos e organizar meu quarto e minha agenda (tudo isso na quinta!). Corrigir provas do CEDERJ, trabalhinhos dos alunos e montar aulas ficou meio diluido nos outros dias. Ah sim, a criação deste blog também. Bom, na sexta apesar de não estar lá muito animada para tal sai com um amigo para o cinema para ver Antes de Partir (o do cartaz ai) que é bem legal o filme trata de um tema muito complicado com o qual me identifico muito no momento sem ser piegas ou trazer falsas ilusões. Adorei! Da sétima arte também vi em DVD A Época da Inocência do Scorsese (bom), Totalmente Apaixonados (sem graça), Pequena Miss Sunshine (simpático) e Cafundó com Lázaro Ramos (interessante, diria). Ainda falta um Quase Deuses que vou tentar ver hoje depois do trabalho e da academia. Enfim, foi um feriadão cheio mas triste (diria). Ai ai e lembrar que no feriadão do ano passado eu estava em Fortaleza... Bom, mas o que me resta é seguir em frente que como diria Cazuza O Tempo não pára...

sábado, 22 de março de 2008

ÀS CLARAS...

Após muita relutância decidi criar um blog pois sempre achei tudo isso muito bobo e sem propósito, mas enfim... aqui estou eu. Descobri o gosto por escrever a algum tempo mas o medo de me expor sempre me fizeram descartar tudo (ou quase) que já escrevi. Todavia, a vontade de registrar tudo aquilo que movimenta minha cabeça me levou até aqui. Não sei o que espero em fazer isso através de um blog. Talvez seja o dó de eliminar algo que leva sempre um certo tempo para se construir e também a possibilidade de que contribuições externas que possam fazer a diferença daqui em diante. Outro objetivo deste blog é, de alguma forma, deixar uma referência (para mim mesma, principalmente) daquilo que foi relevante naquele momento da minha vida. De início, teram algumas coisas de um passado recente no que se refere a esse aspecto e, mais para frente, reflexões sobre o meu passado também. Bom, a muito a ser feito então...Mãos a obra!!!

sexta-feira, 21 de março de 2008

Para começar...

Algo de Clarisse Lispector: "Liberdade é pouco o que desejo ainda não tem nome."